Aquivos por Autor: jsola02

Sobre jsola02

quando me disseram que tinha de escrever uma apresentação, logo falar sobre mim, a coisa ficou feia. Falar sobre mim para dizer o quê? Que gosto de escrever, (dá-me paz, fico mais gente), que escrever é como respirar, comer ou dormir, é sinal que estou vivo e desperto? Mas a quem pode interessar saber coisas sobre um ilustre desconhecido? Qual é o interesse de conhecer uma vida igual a tantas outras, de um individuo, filho de uma família paupérrima, que nasceu para escrever, que aos catorze anos procurou um editor, que depois, muito mais tarde, publicou contos nos jornais diários da capital, entrevistas e pequenos artigos, que passou por todo o tipo de trabalho, como operário, como chefe de departamento técnico, e que, reformado, para continuar útil e activo, aos setenta anos recomeçou a escrever como se exercesse uma nova profissão. Parece-me que é pouco relevante. Mas, como escrever é exercer uma profissão tão útil como qualquer outra, desde que seja exercida com a honestidade de se dizer aquilo que se pensa, (penso que não há trabalhos superiores ou trabalhos inferiores, todos contribuem para o progresso e o bem estar do mundo), vou aceitar o desafio de me expor. Ficarei feliz se conseguir contribuir para que as pessoas pensem mais; ficarei feliz se me disserem o que pensam do que escrevo… José Solá

Reflexões

Reflexões A comparação dos custos perante a História Somos terra de gente quietinha, quase parada, amorfa, perante a rudeza da vida que nos impõem, nas fatias largas de sofrimento, servidas em “bolos de vidro,”barrados de fel, parecidos ou iguais aos … Continuar a ler

| 1 Comentário

Reflexões

Reflexões Falando de Montanhas e de insignificâncias, e de bandalhos… Todos os povos do mundo têm sonhos. É legitimo sonhar e esperar que o sonho um dia se concretize. Mas o mundo é coisa grande e estranha, tem manhas, é … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Reflexões

Reflexões A Natureza e… o processo revolucionário. Muitos se esquecem das nossas origens (como espécie), e sempre é bom, de quando em vez, lembrar-lhes; somos um produto da Natureza e, nessa qualidade, preze a muito boa gente o mal-estar que … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Recordando os velhos amigos

A estreia literária de José Solá ( Recordando velhos amigos, transcrevo este artigo do jornalista e amigo da velha guarda, o Eurico José), publicado no jornal de língua portuguesa: Portuguese Times, de New Bedford. Tenho o prazer de vos apresentar … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Reflexões

Reflectindo sobre a lei das rendas A senhora ministra Assunção “deu à luz” uma lei das rendas, novinha em folha, feita a preceito e a rigor, sem falhas, a palavra da Lei para suprir a todas as necessidades de inquilinos … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Reflexões

Reflexões Portugal no presente No Portugal de antes, faz muitos anos, quando um empregado se preocupava com os processos de trabalho, e dava sugestões para os melhorar, invariavelmente, recebia do empregador uma resposta lacónica: “Você está aqui para trabalhar e … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Reflexões

Reflexões Escrevendo sobre livros e autores: Do romance “A Conjura” de José Eduardo Agualusa: (…) Conta-se também da confusa rixa que, pelos finais de 1881, teve por protesto as eleições para a Câmara Municipal, e dos sucessos que levaram um … Continuar a ler

| Publicar um comentário