Aquivos por Autor: vpacheco44

Apresentação do livro Chuva Miudinha

Apresentação do livro Chuva Miudinha Apresento-vos o video da apresentação do meu livro, espero que apreciem. O livro se encontra a venda em, Sítio do Livro: http://www.sitiodolivro.pt/pt/livro/chuva-miudinha/9789892030203/ Apresentação realizada em, Morocco house of tea http://www.facebook.com/pages/Morocco-house-of-tea/150497921648540 Vitor Pacheco, autor do livro: … Continuar a ler

Vídeo | Publicado em | Publicar um comentário

Chuva Miudinha

Uma amiga partiu o pé no dia da apresentação do meu livro “Chuva Miudinha”. Deixo aqui o poema que lhe escrevi:   “Foi num dia de chuva miudinha que te aconteceu, Ias ter comigo, num dia tão especial, Com expectativa … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Na noite sinto-me

No calor da noite sinto o teu perfume,Onde estás?Perto de mim te sinto,Mas não te vejo,Onde estás? Agora que te sinto, preciso de te ver,Já me puseste em alerta,Já não consigo deixar de pensar,Já não consigo deixar de imaginar,Onde estás? … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Sem ele não somos nada

Este é o meu mais recente poema:   Sem ele não somos nada   O amor é puro,O amor é cru,Sem vícios, sem esquemas,Por vezes carregado de problemas,Por vezes carregado de dilemas. Mas o que somos sem o amor?Nada!  Beijinhos e … Continuar a ler

| Publicar um comentário

UM MOMENTO

    Um momento,Um momento de atenção é quanto peço,Atenção para poder falar, Atenção para me poder explicar. Tudo começou no Verão,Num belo e quente dia de Verão. Ela aproximou-se e sorriu,E foi o que bastou,O coração bateu forte,As ideias atropelavam-se,Algo … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Apresentação do livro Chuva Miudinha

No passado dia 9 de Junho, apresentei o meu livro, Chuva Miudinha no Morocco House Of Tea em Guimarães. Foi uma tarde muito agradável com a apresentação da Dra. Ana Paula Faria, Professora na Universidade do Minho. Com aproximadamente 50 … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Chuva Miudinha

“Comecei a escrever poesia sem querer, podemos dizer que fui obrigado a fazer o meu primeiro poema. Tenho que agradecer à minha mana por me ter obrigado a responder-lhe em verso. A partir daí, comecei a escrever quase diariamente. Foi … Continuar a ler

| Publicar um comentário