Arquivos Mensais: Dezembro 2017

VINICIUS DE MORAES – Minha Mãe

VINICIUS DE MORAES (Rio de Janeiro, Brasil, 1913 – 1980) Poeta, cantor e compositor                   Minha Mãe Minha mãe, minha mãe, eu tenho medo Tenho medo da vida, minha mãe. Canta a … Continuar a ler

| Publicar um comentário

EUGÉNIO DE ANDRADE – Último Poema

EUGÉNIO DE ANDRADE (Póvoa de Atalaia, Portugal, 1923 — Porto, 2005) Poeta           ÚLTIMO POEMA É Natal, nunca estive tão só. Nem sequer neva como nos versos do Pessoa ou nos bosques da Nova Inglaterra. Deixo os … Continuar a ler

| 1 Comentário

FERNANDO PESSOA – Como a noite é longa!

FERNANDO PESSOA (Lisboa, Portugal, 1888 – 1935) Poeta, filósofo, dramaturgo, tradutor COMO A NOITE É LONGA! Como a noite é longa! Toda a noite é assim… Senta-te, ama, perto Do leito onde esperto. Vem p’r’ao pé de mim… Amei tanta … Continuar a ler

| 1 Comentário

ARY DOS SANTOS – Quando um homem quiser

ARY DOS SANTOS (Lisboa, Portugal, 1937 – 1984) Poeta  QUANDO UM HOMEM QUISER Tu que dormes à noite na calçada do relento numa cama de chuva com lençóis feitos de vento tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento … Continuar a ler

| Publicar um comentário

NATÁLIA CORREIA – Balada para um Homem na Multidão

NATÁLIA CORREIA (São Miguel, Açores, Portugal, 1923 – Lisboa, 1993) Escritora e poetisa BALADA PARA UM HOMEM NA MULTIDÃO Este homem que entre a multidão enternece por vezes destacar é sempre o mesmo aqui ou no Japão a diferença é … Continuar a ler

| Publicar um comentário

ANTÓNIO NOBRE – Enterro de Ofélia

ANTÓNIO NOBRE (Porto, Portugal, 1867 -Foz do Douro, 1900) Poeta ENTERRO DE OFÉLIA Morreu. Vai a dormir, vai a sonhar… Deixá-la! (Falai baixinho: agora mesmo se ficou…) Como Padres orando, os choupos formam ala, Nas margens do ribeiro onde ela … Continuar a ler

| Publicar um comentário

LUÍS DA CÂMARA REYS – Homenagem da “Seara Nova”

LUÍS DA CÂMARA REYS (Lisboa, Portugal, 1885 – Estoril, 1961) Professor e jornalista De há muito que se impunha prestar uma homenagem ao Seareiro que foi o principal sustentáculo da revista e da editorial Seara Nova durante quarenta anos. Referimo-nos … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Poema de JOSÉ TERRA dedicado a MATILDE ROSA ARAÚJO – Descoberta

DESCOBERTA Sinto-me livre, fresco, auroreal, neste rio de sombra e de silêncio.   Nele descubro a força e as origens inevitáveis origens dos meus passos.   Nele me encontro total e verdadeiro com meus claros olhos de animal parentes das … Continuar a ler

| 1 Comentário

VIRGÍNIA VITORINO – Amor

VIRGÍNIA VITORINO (Alcobaça, Portugal, 1895 – 1967) Professora, poetisa e dramaturga Trabalhou na Emissora Nacional onde dirigiu o teatro radiofónico. Publicou vários livros de versos e peças teatrais, muitas das quais foram levadas à cena no Teatro Nacional D. Maria … Continuar a ler

| Publicar um comentário

PAUL ÉLUARD – A poesia será feita por todos…

PAUL ÉLUARD (França, 1895 – 1952) Poeta A POESIA SERÁ FEITA POR TODOS… Os verdadeiros poetas jamais acreditaram que a poesia lhes pertencesse exclusivamente. Na boca dos homens, a palavra jamais se extinguiu: as palavras, os cantos, os gritos sucedem-se … Continuar a ler

| 1 Comentário