Arquivos Mensais: Dezembro 2012

Esperança, futuro, incerteza… – nótulas a propósito do Natal que passou, e do Novo Ano que passará

É findo o Natal – rectius, é findo aquele que, por prática consuetudinária e imperativo cronológico, cabe assinalar por esta altura, que não aqueloutro que, em bom rigor, é dever de qualquer pessoa ir assinalando, paulatinamente, todos os dias, ao … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Os números de 2012

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog. Aqui está um excerto: 19,000 people fit into the new Barclays Center to see Jay-Z perform. This blog was viewed about 100.000 times in … Continuar a ler

Publicado em Notícias, eventos | 1 Comentário

Reflexões

Reflexões DESABAFOS Caridade Num país da América Latina, escrito nas paredes de um hospital, lê-se um verso, da autoria de um poeta anónimo: O senhor Juan de Robres Com caridade sem igual Mandou fazer este hospital Mas antes fez os … Continuar a ler

| Publicar um comentário

ANTÓNIO GEDEÃO – Dia de Natal

Hoje é dia de ser bom. É dia de passar a mão pelo rosto das crianças, de falar e de ouvir com mavioso tom, de abraçar toda a gente e de oferecer lembranças. É dia de pensar nos outros – … Continuar a ler

| Publicar um comentário

O NATAL

“Aproximava-se a noite de Natal, naquela comunidade do Sul. Numa azáfama incontrolável, as ruas da cidade, nessa tarde de 24 de Dezembro, estavam completamente apinhadas. Entrava-se e saia-se dos grandes armazéns ajoujados das mais variadas prendas para distribuir nessa noite … Continuar a ler

| 2 Comentários

Livros que escutam e que nos lêem…

Desde o romance à poesia, (Amor Proibido); (A Paixão que Veio do Frio); (Pura Inspiração); (Palavras por Dizer) e (Pensamentos), poderá encontrar todas estas obras nos locais habituais de venda, quer no Sítio do Livro, quer na Livraria Leya na … Continuar a ler

| 1 Comentário

FRAGMENTO DO HOMEM

Que tempo é o nosso? Há quem diga que é um tempo a que falta amor. Convenhamos que é, pelo menos, um tempo em que tudo o que era nobre foi degradado, convertido em mercadoria. A obsessão do lucro foi … Continuar a ler

| Publicar um comentário