Arquivos Mensais: Janeiro 2012

O teu sorriso amor são beijos em flor nesta noite te declamo na pele teu sabor José Guerra (2012)

Publicar um comentário

Comentário televisivo (já em tempo publicado no meu site)

Como subtítulo, talvez, PORTUGAL E A CULTURA NO SÉCULO XXI É raro me dispor a um serão de televisão. Só quando, por informação antecipada, a programação me agrada. Mas, às vezes lá calha. Há uns tempos atrás calhou. Liguei o … Continuar a ler

Publicar um comentário

“NÃO DÁ PARA ACREDITAR” – ABAIXO-ASSINADO

“NÃO DÁ PARA ACREDITAR” O abaixo-assinado contra o fecho da Livraria Camões, no Rio de Janeiro, já ultrapassa um milhar de assinaturas. O objectivo é evitar o seu encerramento. A seguir, o texto do abaixo-assinado: “É mais uma presença portuguesa … Continuar a ler

1 Comentário

A arte das fadas ( de Danilo Pereira )

Nas florestas de Alfheim, é muito comum um guerreiro nórdico se deparar com uma fada. Sempre belas e graciosas, estes delicados seres são dotados de inúmeros poderes, como por exemplo, o de encantar frascos  contendo o elixir da vida. Se um … Continuar a ler

Publicar um comentário

“JUNTOS PARA SEMPRE” (12 )

      “JUNTOS PARA SEMPRE” ( 12 )             Para Maria, a sua reentrada no Orfanato foi uma surpresa. As freiras receberam-na com fleumática cordialidade, talvez reconhecendo que foram responsáveis pela doença originada pelas condições sub-humanas em que tinha vivido … Continuar a ler

Publicar um comentário

“JUNTOS PARA SEMPRE” – ( 11 )

  O Hospital, instalado num Convento do Século XVII, de estilo Barroco, possui quase intactas as pinturas ilusionistas que se podem admirar nos tectos de alguns salões, revestidos com azulejos que apresentam cenas do quotidiano, com destaque para as figuras … Continuar a ler

Publicar um comentário

“A Paixão que Veio do Frio”, um romance inolvidável

“Os corpos desnudos deixavam-se percorrer por mãos trémulas, ansiosas e suadas. Os lábios encontraram-se no silêncio e nos olhos que por momentos se fecharam. Os dedos titilavam na pele exortando o desejo que o calor do momento impelia.” in, “A … Continuar a ler

Publicar um comentário

“JUNTOS PARA SEMPRE” – ( 10 )

José Eduardo Taveira   Terminado o castigo, Maria regressa à camarata. O seu aspecto é deplorável. Está magra e doente. Dominada pelo poder absoluto e arbitrário das freiras, sente-se humilhada e ofendida na sua dignidade. Nestas circunstâncias tudo é indiferente, … Continuar a ler

Publicar um comentário

Sabe, Excelência:

Os desempregados deste País (setecentos mil, segundo os números oficiais, que, ao certo, ninguém sabe quantos são), essas pessoas que desesperam e passam fome, que vêm os filhos sofrer, gente sem futuro, os que trabalham ainda e temem perder o … Continuar a ler

Publicar um comentário

Sou ave despida do passado…

Respiro a solidão da noite Sem que do sol a deixe fazer manhã Grito num prenúncio de uma alvorada Sou ave despida do passado Sou do mundo, sou de ninguém José Guerra (2012)

Publicar um comentário