Aquivos por Autor: Intermitências da escrita

    Como perder 48h. Dás por ti no ponto em que começaste. A ouvir os barulhos da noite, um carro parado com o motor ligado, um jogo de futebol na TV e os ruídos que são os mesmos dos … Continuar a ler

Publicado em por Intermitências da escrita | Publicar um comentário

Já lá vai o tempo em que fizeram Matilde sentir-se especial. Na escola, recebia as recompensas da sua dedicação, os seus pares e professores incentivavam a escrita e a representação teatral e eram tantas as suas certezas. Confiava, sobretudo, nas … Continuar a ler

Publicado em por Intermitências da escrita | Publicar um comentário

      Quando Portugal joga. Parece a chegada do Homem à lua e todo o mundo pára defronte de uma televisão com a cervejinha, os cacahuetes e as bandeiras zelosamente colocadas no alpendre ou na janela. Um marco, definitivamente, na … Continuar a ler

Publicado em por Intermitências da escrita | Publicar um comentário

  Tenho resistido, não sem algum pudor pessoal, a escrever como mandam as modas. Sou um bicho de rotinas, defendo-me, e não concebo que, de uma penada, se mude a língua por decreto, tornando o certo em errado, o académico … Continuar a ler

Publicado em por Intermitências da escrita | Publicar um comentário

Às vezes assalta-me um sentimento de inquietação súbito e sem porquê. Não sei de onde vem, não é trazido pela mão de algum pensamento mais profundo. Assalta-me e pronto. Em que é que se deve acreditar verdadeiramente hoje em dia? … Continuar a ler

Publicado em por Intermitências da escrita | 1 Comentário

  Digo-vos, é uma chatice termos o bolso do casaco descosido. Conheci pessoas que foram mandadas para casa, impedidas de trabalhar, por terem um simples rasgão na camisa, mas o bolso descosido é muito pior! Não imaginam o incómodo, o … Continuar a ler

Publicado em por Intermitências da escrita | Publicar um comentário

    Deram ao Homem o engenho de poder fabricar uma faca e ele aprendeu a cozinhar e a caçar. Certo é, porém, que parte deles aprendeu também, não se sabe por que artes, a usar esses utensílios contra os … Continuar a ler

Publicado em por Intermitências da escrita | Publicar um comentário

Ana Brilha na Feira do Livro de Lisboa | 2012

No próximo dia 5 de Maio, pelas 18h00, estarei na Feira do Livro de Lisboa, na Tenda dos Pequenos Editores, para sessão de autógrafos dos livros “Cartas da Província de Akashi” e “A apologia do silêncio” e disponível para conversar … Continuar a ler

Publicar um comentário

    Nasci nas ruas de Cascais, só como todos os seres quando nascem, o futuro de miséria escrito no rosto. Tinha pouco mais do que a vida que alguém me dera e sabia já de cor que me esperava … Continuar a ler

Publicado em por Intermitências da escrita | Publicar um comentário

      Ontem foi o tão aguardado dia! O dia do lançamento do mais recente livro de poesia de Ana Brilha, “A Apologia do Silêncio”. O relógio marcava 18h30 e lá estava eu numa sala apinhada de gente, onde a … Continuar a ler

Publicado em por Intermitências da escrita | Publicar um comentário