Arquivos Mensais: Agosto 2012

PARABÉNS, CARLOS DE OLIVEIRA !

Carlos de Oliveira nasceu em Belém do Pará, Brasil, no dia 10 de Agosto de 1921 e viveu até 1 de Julho de 1981. É um dos mais importantes poetas portugueses do neo-realismo do século XX. Nesta homenagem no dia do seu aniversário, o poema,         Carta a Ângela Para ti, meu amor, … Continuar a ler

| Publicar um comentário

O grande fenómeno nacional:

O grande fenómeno nacional: POLITICOS COM O CÉREBRO DO TAMANHO DE UMA AVELÃ Antes os mistérios da mãe natureza chegavam-nos via Entroncamento; coisas fantásticas e do fantástico, como batata em forma de pénis equipada com os respectivos testículos, tudo apresentado … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Gram a espada surreal ( de Danilo Pereira )

Caminhando pelo mundo nórdico devastado, o guerreiro Wolfgang encontrou numa catedral antiga, a lendária espada Gram, que no passado fora usada por um lendário guerreiro. A espada pertencia a Siegfried, o cavaleiro e heróis nórdico, que matou o dragão Fafnir … Continuar a ler

| Etiquetas | Publicar um comentário
| Publicar um comentário

PARABÉNS, MÁRIO CESARINY !

Mário Cesariny nasceu em Lisboa no dia 9 de Agosto de 1923 e viveu até 26 de Novembro de 2006. Poeta, pintor e historiador, assumiu integralmente o surrealismo português, considerando-o um meio de rebeldia tanto na arte como na vida, … Continuar a ler

| Publicar um comentário

O Poema é o meu leito…

O poema é o meu leito onde me deito estreito à espera que a noite me leve nas pálpebras jaz o que o sono me traz vagueia o espírito livre de um corpo cansado que deixo para trás sem jamais … Continuar a ler

| Publicar um comentário

O APOGEU DO COBARDE

“Havia num partido um homem, que era demasiado medroso e cobarde para, alguma vez, contradizer os seus camaradas: empregavam-no para todos os serviços, exigiam tudo dele, porque ele tinha mais medo da má opinião dos seus camaradas que da morte; era um lamentável espírito fraco. Eles reconheceram isso e fizeram dele, em virtude das circunstâncias mencionadas, um herói e, por fim, até um mártir. Embora o cobarde, interiormente, dissesse sempre não, com os lábios pronunciava sempre sim, … Continuar a ler

| Publicar um comentário

Apresentação de Pagwagaya – Quercus Bragança, 4 de Agosto, 17h

“… uma obra bem concebida, com uma história plausível, escrita num estilo muito acessível e com um ritmo narrativo que convida a uma leitura compulsiva e uma enorme vontade de saber o fim desta aventura.” No sábado 4 de Agosto, … Continuar a ler

| Etiquetas , , , | Publicar um comentário

Chuva Miudinha

Uma amiga partiu o pé no dia da apresentação do meu livro “Chuva Miudinha”. Deixo aqui o poema que lhe escrevi:   “Foi num dia de chuva miudinha que te aconteceu, Ias ter comigo, num dia tão especial, Com expectativa … Continuar a ler

| Publicar um comentário

O aesir ( de Danilo Pereira )

Quando Wolfgang se aventurou na montanha de Imer, ele encontrou a caverna obscura do lobo Fenrir e adentrou em seu covil. Com uma lamparina em mãos, encontrada num corpo jazido, o guerreiro nórdico confrontou a fera que sucumbiu diante do … Continuar a ler

| 2 Comentários