HENRI MURGER – A Balada do Desesperado

HENRI MURGER

Henri Murger (Paris, França, 1822 – 1861).

Foi poeta e romancista.

Na sua obra mais conhecida, Scènes de la vie de Bohème, Murger baseia-se nas suas experiências como escritor pobre vivendo em Paris nos meados do século XIX. A maioria das personagens foi inspirada nos seus amigos e conhecidos.

A Ópera La Bohème, de Puccini, foi composta a partir da obra de Henri Murger.

A Balada do Desesperado

– Quem bate à porta a tais horas?
– Abre, sou eu. Quem tu és?
Não se entra na minha casa
Tão tarde assim, bem o vês.

– Abre. – Teu nome? – Há geada,
Abre. Teu nome? – És tardio!
Qual é teu nome? – Ai, na cova
Um morto não tem mais frio.

Eu caminhei todo o dia
Do sul ao setentrião,
Ao pé da tua lareira
Quero sentar-me – Inda não!

Diz teu nome… – Eu sou a glória
E aspiro à posteridade…
– Passa fantasma irrisório…
– Ó dá-me hospitalidade!

Eu sou o amor e a esperança
As duas porções de Deus…
– Segue a estrada… A minha amante
Há muito me disse adeus!

– Eu sou a arte e a poesia,
Proscreveram-me… Abre! – Não!
Já não canto minha amante.
Nem sei que nome lhe dão!…

– Abre, que eu sou a riqueza,
E trago do ouro o fulgor,
– Posso dar-te a tua amante…
– Podes dar-me o seu amor?

– Sou o poder, tenho a púrpura.
Abre a porta! – Anelo vão!
Podes trazer-me a existência
Daqueles que já não sâo?!

— Se tu não abres teus lares
Senão a quem diz seu nome
Sou a morte! trago alívio
P’ra cada dor que consome!

Podes ver, trago na cinta
Ruidosas chaves fatais…
Abrigarei teu sepulcro
Do insulto dos animais.

– Entra, estrangeira funérea…
Perdoa à mendicidade,
Porque é no lar da miséria
Que tens hospitalidade.

Entra; cansei-me da vida
Que nada tem que me dar…
Há muito eu tinha desejos
(Não força) de me matar!

Entra no lar, bebe e come,
Dorme, e quando despertares,
Para pagar tua conta
Hás-de levar-me aos teus lares.

Eu te esperava, eu te sigo…
Vamos… arrasta-me… assim…
Mas deixa o meu cão na terra
P’ra eu ter quem chore por mim!

Henri Murger
Tradução: Castro Alves
Imagem: retrato de Henri Murger pintado por Chambery.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.