HENRI MURGER – A Balada do Desesperado

HENRI MURGER

Henri Murger (Paris, França, 1822 – 1861).

Foi poeta e romancista.

Na sua obra mais conhecida, Scènes de la vie de Bohème, Murger baseia-se nas suas experiências como escritor pobre vivendo em Paris nos meados do século XIX. A maioria das personagens foi inspirada nos seus amigos e conhecidos.

A Ópera La Bohème, de Puccini, foi composta a partir da obra de Henri Murger.

A Balada do Desesperado

– Quem bate à porta a tais horas?
– Abre, sou eu. Quem tu és?
Não se entra na minha casa
Tão tarde assim, bem o vês.

– Abre. – Teu nome? – Há geada,
Abre. Teu nome? – És tardio!
Qual é teu nome? – Ai, na cova
Um morto não tem mais frio.

Eu caminhei todo o dia
Do sul ao setentrião,
Ao pé da tua lareira
Quero sentar-me – Inda não!

Diz teu nome… – Eu sou a glória
E aspiro à posteridade…
– Passa fantasma irrisório…
– Ó dá-me hospitalidade!

Eu sou o amor e a esperança
As duas porções de Deus…
– Segue a estrada… A minha amante
Há muito me disse adeus!

– Eu sou a arte e a poesia,
Proscreveram-me… Abre! – Não!
Já não canto minha amante.
Nem sei que nome lhe dão!…

– Abre, que eu sou a riqueza,
E trago do ouro o fulgor,
– Posso dar-te a tua amante…
– Podes dar-me o seu amor?

– Sou o poder, tenho a púrpura.
Abre a porta! – Anelo vão!
Podes trazer-me a existência
Daqueles que já não sâo?!

— Se tu não abres teus lares
Senão a quem diz seu nome
Sou a morte! trago alívio
P’ra cada dor que consome!

Podes ver, trago na cinta
Ruidosas chaves fatais…
Abrigarei teu sepulcro
Do insulto dos animais.

– Entra, estrangeira funérea…
Perdoa à mendicidade,
Porque é no lar da miséria
Que tens hospitalidade.

Entra; cansei-me da vida
Que nada tem que me dar…
Há muito eu tinha desejos
(Não força) de me matar!

Entra no lar, bebe e come,
Dorme, e quando despertares,
Para pagar tua conta
Hás-de levar-me aos teus lares.

Eu te esperava, eu te sigo…
Vamos… arrasta-me… assim…
Mas deixa o meu cão na terra
P’ra eu ter quem chore por mim!

Henri Murger
Tradução: Castro Alves
Imagem: retrato de Henri Murger pintado por Chambery.

Anúncios

Sobre José Eduardo Taveira

Nasci no Porto. Trabalhei em diversas empresas nacionais e multinacionais, exercendo cargos directivos. Actualmente estou liberto de compromissos profissionais, usufruindo a liberdade de viver como gosto e quero. Publiquei três livros intitulados: "Juntos para Sempre","Histórias de Pessoas que Decidi Divulgar" e "Viagem ao Princípio da Vida". Os dois primeiros em Portugal e o último no Brasil.
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s