“JUNTOS PARA SEMPRE” – (16) – José Eduardo Taveira

No dia seguinte, Maria acorda ao som da voz da enfermeira Celeste. Salta da cama energicamente e abraça-a.

– Prepara-te para sair, porque em breve virão buscar-te.

A enfermeira confia-lhe uma carta fechada do médico para ser entregue à Madre Superiora da Casa de Acolhimento. Maria, timidamente, pergunta se as freiras são como as do Orfanato. Celeste responde que não tem muitas informações sobre a Casa, mas não pode garantir nada. E adianta:

– Tens uma nova oportunidade que deves aproveitar. Lá preparam as raparigas em várias áreas de ensino que são importantes para a tua formação pessoal. Penso que vais gostar. Guarda a minha morada e escreve-me a contar como te estás a sentir de saúde. Faz um esforço para te adaptares. Nenhum Orfanato ou Casa de Acolhimento oferecem o conforto de um lar que hás-de ter daqui a poucos anos, tenho a certeza. Mas neste momento é o melhor que nós pudemos arranjar. E deves agradecer ao Doutor Alberto que foi incansável para conseguir mudar-te para a Casa de Acolhimento. Vá, prepara-te para a partida. Felicidades. Conta comigo. Até breve!

Maria beija-a e olha sorridente em jeito de agradecimento.

(Continua)

José Eduardo Taveira 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.