Sem cansaços, caminhamos, com paragens para confraternizar!

A poesia é o nosso combustível, nesta estrada que nos propusemos a caminhar.

Desta vez a a paragem é em Sines, na livraria a das artes ( http://adasartes.blogspot.com).

Será no dia  3o de Junho, quinta-feira, pelas 18h.

Conto com a presença de todos, para animar pelas palavras os locais onde ainda se comemoram as artes.

 

Mulher açucena

Talvez esta mulher poema

tenha um travo de saudade,

talvez esta pequena açucena

seja flor com raridade.

Talvez não me baste a voz

para cantar a verdade,

preciso de ser veloz

não quero ferir a vaidade,

porque o coração da mulher

é habitado por seres

só  soltos pelo querer,

incontidos de prazeres.

Excerto do poema Mulher Açucena do livro Versejando pelos caminhos da Alma

Sobre Lou Alma

sou alma turbolenta, incapaz de sossego, as palavras são a paz que procuro entre silêncios e mágoas e pedaços coloridos de felicidade. Sou mulher criança em eterna brincadeira, bafejada pela sorte das terras quentes e suadas.
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s