LORD BYRON – Epitáfio para um cão

Lord byron

Lord Byron nasceu em Londres, Inglaterra. (1788-1824)

Foi um dos mais destacados poetas de língua inglesa e uma das figuras preponderantes do Romantismo.

Herdou o título nobiliárquico do tio-avô William, tornando-se o sexto Lord Byron.

Das suas obras, salientam-se: “Peregrinação de Child Harold” e “Don Juan”,consideradas obras-primas da poesia.

Amargurado pela morte do seu cão, Byron dedicou-lhe este excelente e emotivo poema:

“Epitáfio para um cão”

Perto daqui
Estão depositados os despojos daquele
Que possuía beleza sem vaidade,
Força sem insolência,
Coragem sem ferocidade,
E todas as virtudes do Homem sem seus vícios.
Este elogio, que seria uma adulação sem sentido
Se escrito fosse sobre cinzas humanas,
É somente um justo tributo à memória de
Boatswain, um cão
Que nasceu em Newfoundland em maio de 1803,
E morreu em Newstead, em 18 de novembro de 1808.

Quando um orgulhoso filho do Homem retorna à terra
Desconhecido pela glória mas sustentado pelo berço,
A arte do escultor exaure a pompa do infortúnio,
E urnas ornadas registam aquele que descansa abaixo:
Quando tudo está terminado, sobre a tumba é visto
Não o que ele foi, mas o que deveria ter sido.
Mas o pobre cão, na vida o mais fiel amigo,
O primeiro a dar boas vindas, na dianteira para defender,
Cujo coração honesto é do próprio dono,
Que trabalha, luta, vive, respira somente por ele
Sem honra se vai, despercebido seu valor,
Negada no Paraíso a alma que tinha na terra;
Enquanto o homem, fútil insecto! tem a esperança de ser perdoado,
E reivindica para si só exclusividade no Paraíso!
Oh, homem! frágil, breve inquilino
Rebaixado pela escravidão, ou corrompido pelo poder,
Quem te conhece bem, deve rejeitar-te com desgosto,
Massa degradada de poeira viva!
Teu amor é luxúria, tua amizade inteira ilusão
Tua língua hipocrisia, teu coração decepção.
Por natureza mau, dignificado apenas pelo nome,
Cada irmão selvagem pode fazer-te corar de vergonha.
Vós! que, por ventura, contemplais esta urna simples
Ficais sabendo, não homenageia ninguém que desejais prantear,
Para marcar os despojos de um amigo estas pedras se levantam;
Nunca conheci nenhum, excepto um único — e aqui ele descansa.

Anúncios

Sobre José Eduardo Taveira

Nasci no Porto. Trabalhei em diversas empresas nacionais e multinacionais, exercendo cargos directivos. Actualmente estou liberto de compromissos profissionais, usufruindo a liberdade de viver como gosto e quero. Publiquei três livros intitulados: "Juntos para Sempre","Histórias de Pessoas que Decidi Divulgar" e "Viagem ao Princípio da Vida". Os dois primeiros em Portugal e o último no Brasil.
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Uma resposta a LORD BYRON – Epitáfio para um cão

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s