Arquivos Mensais: Outubro 2012

O canário…

  ANDA POR AÍ UM CERTO CANÁRIO QUE, CANTANDO BEM, NÃO SEI PORQUÊ NÃO ME ALEGRA; O CANÁRIO TEM NOME DE GENTE: É QUALQUER COISA PARECIDA COMO PACHECO. E o canário, seguro do conforto da sua gaiola de porta aberta, … Continuar a ler

2 Comentários

OS HOMENS SEM PÉ NO SEU TEMPO

“Neste trágico século vinte, sem qualquer sério conteúdo ideológico, sem nenhuma espécie de grandeza fora do visceral e do somático, todo feito de records orgânicos e de conquistas dimensionais, que serenidade interior poderá ter alguém alicerçado em valores religiosos, estéticos, … Continuar a ler

2 Comentários

Entrevista sobre Pagwagaya n’A Rede da Radio

Amanhã, dia 9, a partir das 23h (Madeira a partir das 20h), vou estar n’A Rede da Rádio, um programa da Antena 1. Vou falar sobre o meu novo livro Pagwagaya e sobre o que mais a Madalena Balça, a … Continuar a ler

Publicar um comentário

PORTUGAL ESTÁ A ATRAVESSAR A PIOR CRISE !

Que fazer? Que esperar? Portugal tem atravessado crises igualmente más: – mas nelas nunca nos faltaram nem homens de valor e carácter, nem dinheiro ou crédito. Hoje crédito não temos, dinheiro também não – pelo menos o Estado não tem: – e homens não os há, ou os raros que há são postos na sombra pela Política. De sorte que esta crise me parece a pior – e sem cura. … Continuar a ler

2 Comentários

O cinco de Outubro

O cinco de Outubro Habituei-me desde muito novo a gritar vivas à República, no dia 5 de Outubro; ia pela mão de um velho republicano, (o mesmo que, nesse dia, em 1910, escalou a fachada da câmara municipal de Vila … Continuar a ler

Publicar um comentário

PARABÉNS, MARIA LAMAS !

Maria Lamas nasceu em Torres Novas no dia 6 de Outubro de 1893, e viveu até 6 de Dezembro de 1983. Foi activista política, jornalista, escritora, poetisa, contista e tradutora. Nesta homenagem no dia do seu aniversário, excertos do livro infantil: “A Estrela do Norte” publicado em 1934. “Uma vez, estava a tarde muito serena, … Continuar a ler

Publicar um comentário

HINO NACIONAL – VERSÃO INTEGRAL

I Heróis do mar, nobre povo, Nação valente, imortal, Levantai hoje de novo O esplendor de Portugal! Entre as brumas da memória, Ó Pátria sente-se a voz Dos teus egrégios avós, Que há-de guiar-te à vitória! Às armas, às armas! Sobre a terra, sobre o mar, Às armas, às armas! Pela Pátria lutar! Contra os canhões marchar, marchar! II Desfralda a … Continuar a ler

Publicar um comentário

      Quando Portugal joga. Parece a chegada do Homem à lua e todo o mundo pára defronte de uma televisão com a cervejinha, os cacahuetes e as bandeiras zelosamente colocadas no alpendre ou na janela. Um marco, definitivamente, na … Continuar a ler

Publicado em por Intermitências da escrita | Publicar um comentário

Já em Novembro…

Para quem gostou de “A Paixão que Veio do Frio”, irá ter em breve a oportunidade de viajar no tempo e sentir nas palavras o que alguém sentiu, se é que se pode sentir na pele algo tão intenso e … Continuar a ler

1 Comentário

PARABÉNS, JOSÉ CARDOSO PIRES !

José Cardoso Pires nasceu em São João do Peso no dia 2 e Outubro de 1925 e viveu até 26 de Outubro de 1998. Foi escritor, cronista, tradutor, professor, colaborador literário em diversos jornais e revistas. Nesta homenagem no dia do seu aniversário, um excerto do livro: “O Delfim”, publicado em 1968: “Tomás, o Avô, deitou contas às cinzas e … Continuar a ler

Publicar um comentário