“HISTÓRIAS DE PESSOAS QUE DECIDI DIVULGAR”

EXTRACTOS DA HISTÓRIA Nº15

           

               Tuxa Vanessa é uma   senhora que dedica parte da sua vida a visitar e receber as inúmeras amigas que têm o privilégio de pertencer ao seu núcleo social. É companheira há longos anos do Conde König der Würst, oriundo de uma afortunada família alemã, proprietária de várias fábricas de salsichas. Tuxa Vanessa vive no mesmo palacete, por deferência do Conde. Frequentam as melhores festas de sociedade e recebem frequentemente convites para passar fins-de-semana em casas de top-societies por essa Europa fora, todas relacionadas com os negócios do Conde.

         O grupo de amigas de Tuxa reúne-se todas as semanas para tomar chá e saborear os excelentes scones, fabricados em rigoroso exclusivo, numa Pastelaria chiquíssima.

        Para agradar ao Conde, durante os chás, Tuxa Vanessa promove degustações de vários tipos de linguiças, apreciadas pelo gosto requintado das convidadas. (…)

          Ouviram dizer que Portugal é um País que tem muitos pobrezinhos, mas lamentam nunca terem visto nenhum, para os poderem observar em carne e osso.

        Tuxa Vanessa teve uma ideia fantástica que lhe surgiu espontaneamente e resolveu mandar convocar as amigas, com a máxima urgência, para apresentar a sua extraordinária e inovadora proposta.

           Ainda não eram cinco horas e já todas as convidadas estavam presentes, tal a expectativa gerada pelo misterioso convite.

            Entre as amigas, perguntavam-se o que seria que ela tinha para lhes comunicar de tão importante. Antes do lanche, Tuxa Vanessa dá início à sua apresentação:

       – Minhas queridas amigas, vocês são fantásticas e é uma alegria poder contar convosco para lançarmos uma espécie de Movimento Nacional Feminino, lembram-se? Era só senhoras do melhor que havia na sociedade. Tal como elas, o meu objectivo é ajudar os pobrezinhos, que dizem haver muitos por aí. Foi uma ideia que tive assim de repente. Não me perguntem como, porque eu nem sei explicar. É daquelas ideias que temos quando não estamos a pensar, estão a perceber, minhas queridas? Pelo menos sempre temos algo para atirar à cara daqueles que nos insultam por sermos, felizmente, pessoas de bens. Então a minha proposta é que organizássemos um jantar de beneficência no restaurante de luxo que todas costumamos frequentar. Eu ponho a secretária do Conde a tratar de tudo. Ele já me disse que é a sua contribuição para o nosso Movimento. Será convidado o melhor da nossa sociedade. Para começar, vamos ajudar dez pobrezinhos e na noite da nossa Gala, eles ficarão na rua à nossa espera. Vai ser um momento inesquecível para eles, que ainda por cima nem sabem que o restaurante existe. Será um deslumbramento, coitaditos. Que dizem a isto as minhas queridas amigas? (…)

           Faryngite de Santacomba achou a ideia o máximo e propôs que cada benfeitora tenha direito a angariar um pobrezito. (…) 

        – Bem, minhas queridas, fica combinado que cada uma de nós arranja um pobrezinho, tal como sugeriu a nossa querida Faryngite, mas peço-vos minhas queridas amigas, arranjem umas criaturas que não cheirem mal, porque eu detesto gente mal cheirosa. Além disso não quero barulho junto ao restaurante, que é uma vergonha para nós, que somos pessoas conhecidíssimas. Ah! E não quero gentinha a acompanhar os pobretes que vamos ajudar. Se vêm para aí com a famelga e a filharada não se pode estar em paz. A organização destas acções de solidariedade tem de ser muito bem preparada. A secretária do Conde trata de tudo.  (…)

       – Eu apreciava imenso que o Conde König der Würst fosse o convidado de honra, não pagando por isso o seu jantar. É o único estrangeiro do nosso grupo e ele ficaria muito grato por esta amabilidade. Aliás, foi um amor em ceder a sua secretária particular para organizar este jantar de gala. Para a semana voltamos a encontrarmo-nos para acertar os pormenores finais. Ok? (…)

             Passados oito dias efectuou-se nova reunião. Os pobrezinhos já estavam escolhidos e a data da Gala marcada para quinta-feira da semana seguinte. Tudo rigorosamente planeado. Finalmente vai chegar o tão esperado dia.(…)

JOSÉ EDUARDO TAVEIRA

 

 

Anúncios

Sobre José Eduardo Taveira

Nasci no Porto. Trabalhei em diversas empresas nacionais e multinacionais, exercendo cargos directivos. Actualmente estou liberto de compromissos profissionais, usufruindo a liberdade de viver como gosto e quero. Publiquei três livros intitulados: "Juntos para Sempre","Histórias de Pessoas que Decidi Divulgar" e "Viagem ao Princípio da Vida". Os dois primeiros em Portugal e o último no Brasil.
Esta entrada foi publicada em Opiniões, testemunhos. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s