A experiência de escrever um livro

A experiência a escrever algo desta dimensão pela primeira vez é… simplesmente surpreendente.

Sobre a formação da estória:
Sara e David era suposto serem as personagens principais.
Precisava de um vilão astuto e algo dissimulado e para este papel escolhi o Victor. Director de um museu, sem grandes escrúpulos e muito mais interessado na fama e nos resultados materiais que a descoberta lhe traria. Pouco se importaria com os métodos e com as pessoas.
Queria também alguém para desconcertar o grupo e criar alguma agitação, quase sempre no bom sentido, com espírito de aventura e ousadia quanto baste, a Veronica.

Bem, para não levar ninguém ao engano, afinal eu não sabia do que precisava e todas as personagens planeadas, e outras não planeadas, acabaram por se moldar à estória e não ao que eu queria.

Sara e David são personagens centrais, mas dividem claramente o protagonismo com outras personagens.
Quanto ao Victor, é realmente director de um museu e chefe da expedição, mas em tudo o resto, não. E afinal o vilão…

Esta é a parte que mais me impressinou na experiência de escrever.
Não fui realmente eu a fazer a estória ou a construir os personagens!

Depois de definidos os pontos de passagem principais, na realidade, eu não tinha quase nada. Mas a sequência e o encadeamento da estória deram-me o resto, de um modo muito natural sem grandes desvios, com o caminho sempre à vista.

A estória escreveu-se a si própria, os personagens sairam do meu controlo e as suas características apareceram sem a minha intervenção consciente. E o mais surpreendente é que as relações entre eles e com a aventura em si encaixaram na perfeição, sem qualquer esforço da minha parte.

Eu ia conhecendo o enredo e os pormenores apenas à medida que os escrevia!
Quase sempre tive pena de não conseguir escrever à velocidade do pensamento porque as cenas seguintes surgiam sempre rapidamente.

Escrever para mim é afinal parecido com a descoberta de ler um livro. Só que são as nossas ideias, é a nossa mente a criar e as sensações são muito mais vivas, mais surpreendentes, de longe muito mais reais do que se apenas estivesse a ler.

http://sonhosdaatlantida.armandofrazao.com

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Opiniões, testemunhos com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s