CRUELDADE E SOFRIMENTO

CRUELDADE E SOFRIMENTO

A crueldade entre homens, indivíduos, grupos, etnias, religiões, raças é aterradora.

O ser humano contém em si um ruído de monstros que liberta em todas as ocasiões favoráveis.

O ódio desencadeia-se por um pequeno nada, por um esquecimento, pela sorte de outrem, por um favor que se julga perdido. O ódio abstracto por uma ideia ou uma religião transforma-se em ódio concreto por um indivíduo ou um grupo; o ódio demente desencadeia-se por um erro de percepção ou de interpretação.

O egoísmo, o desprezo, a indiferença, a desatenção agravam por todo o lado e sem tréguas a crueldade do mundo humano. E no subsolo das sociedades civilizadas torturam-se animais para o matadouro ou a experimentação.

Por saturação, o excesso de crueldade alimenta a indiferença e a desatenção, e de resto ninguém poderia suportar a vida se não conservasse em si um calo de indiferença.

Nota: Texto incluído no livro “Os meus Demónios”, de Edgar Morin, antropólogo, sociólogo e filósofo francês. Nasceu em Paris no dia 8 de Julho de 1921.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Uma resposta a CRUELDADE E SOFRIMENTO

  1. José Eduardo Taveira diz:

    Reblogged this on Blogue dos Autores.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.