Um poema: «A ti… (?)»

Novamente respigamos da nossa página de Facebook um modesto poema de nossa lavra:

 

«A TI… (?)»

 

A ti…
Pergunto: a quem?
Sim, a quem
consagrar
os mais meigos carinhos,
os mais enternecedores afagos,
os mais ternos beijos,
a chama viva, fúlgura
dum amor incontido…

A quem?
A ti…
Mas… a ti, quem?
A ti, esperança abençoada
Da minha imaginação tão desalentada,
A ti, expressão do meu puro ideal,
Que todos os dias erijo
em sacrossanta imagem,
Porém que só de irrealidade
e sonho
formada…

A ti…
Ou será a ti,
Sim, a ti, realidade bem tangível,
Que não deusa sonhada, mas musa terreal,
A ti, que existes, mas não para mim,
A quem ditou a sorte fosses privilegiar outrem,
Dar-lhe a suprema ventura do teu puro amor,
A outrem… que não a mim!

A ti…
De novo a interrogação maldita: a quem?
Pois se uma não existe,
E outra não mais poderá existir para mim,
É corolário lógico
Da fatalidade da vida
Que seja este poema
Dedicado a…
Ninguém!

Diogo Figueiredo P. D. Ferreira

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s